Quinta, 13 de Junho de 2024
17°

Tempo limpo

Ponta Porã, MS

Dólar
R$ 5,40
Euro
R$ 5,84
Peso Arg.
R$ 0,01
Geral Polícia Civil - MS

Acusada de matar ex-convivente em Três Lagoas é presa pela Polícia Civil

No início da manhã desta quarta-feira (05), a Polícia Civil, por intermédio da SIG (Seção de Investigação Geral) e do NRI (Núcleo Regional de Intel...

05/06/2024 às 12h42
Por: Jornalista Adilson Oliveira Fonte: Polícia Civil - MS
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Polícia Civil - MS
Foto: Reprodução/Polícia Civil - MS

No início da manhã desta quarta-feira (05), a Polícia Civil, por intermédio da SIG (Seção de Investigação Geral) e do NRI (Núcleo Regional de Inteligência) de Três Lagoas/MS, deflagrou uma operação policial para o cumprimento de mandados de prisão, e de busca e apreensão, no âmbito de investigações referentes ao homicídio praticado contra Eli Álvaro Silva Resende, de 41 anos de idade, ocorrido no dia 19/05. No dia dos fatos, durante a madrugada, a vítima foi alvejada por um disparo de arma de fogo, no interior de sua residência.

Três dias após os fatos, a autora foi identificada. Ela foi localizada e acabou confessando a prática do crime.

A arma de fogo, um revólver utilizado pela autora para matar o ex-convivente dela, também foi localizada e apreendida. Na ocasião, a mulher foi autuada em flagrante por porte irregular de arma de fogo de uso permitido, juntamente com uma amiga que estava guardando o revólver.

Em estrito cumprimento ao previsto na legislação brasileira, ela foi colocada em liberdade, primeiro por não estar em estado de flagrância quanto ao crime de homicídio, e segundo por recolher a fiança legalmente prevista no caso do porte de arma de fogo.

No entanto, as investigações prosseguiram e após a coleta de todo material probatório, foi representado pela prisão preventiva da autora. Assim que houve manifestação favorável do Ministério Público, a medida constritiva foi decretada pelo Juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Três Lagoas/MS e cumprida pela Polícia Civil.

Com a conclusão do inquérito policial, a mulher poderá ser processada pela prática do crime de homicídio qualificado pelo motivo torpe, com uma pena máxima prevista de até trinta anos de reclusão, se ela for condenado pelo Tribunal do Júri.

Serviço –A SIG de Três Lagoas/MS solicita a colaboração e apoio de toda população três-lagoense, com informações sobre a prática de crimes e localização de indivíduos foragidos da Justiça, sendo que as denúncias poderão ser realizadas através dos telefones (67) 3929-1173 ou (67) 99226-8210 (WhatsApp). O sigilo e anonimato são assegurados.

Ele1 - Criar site de notícias