Segunda, 21 de Setembro de 2020
18 98814 7587 Fixo (67) 3433-3321
Política PODER

Guedes ensaia diálogo com o Congresso após críticas do presidente da Câmara

Em conversa com vice-líder do PSDB, ministro se confessa "um pouco incompreendido", mas reconhece que precisa construir, com o Congresso, as propostas para as reformas

05/09/2020 08h18
Por: Jornalista Adilson Oliveira Fonte: CB
(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O anúncio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que o ministro Paulo Guedes proibiu integrantes da equipe de falarem com ele trouxe preocupações sobre o futuro das reformas e de outras pautas importantes no Congresso. Ao mesmo tempo, deixou ainda mais evidentes o isolamento político do chefe da equipe econômica e o protagonismo dos militares palacianos. Mas os primeiros movimentos de reaproximação, entre ministério e Legislativo, começam a ser feitos.

Nesta sexta-feira (4/9), o vice-líder do PSDB, Danilo Fortes (CE), encontrou-se com Guedes por videoconferência, num movimento entendido como uma tentativa de pavimentar a reabertura dos canais de comunicação. Os dois conversaram sobre um projeto de taxar as grandes plataformas da internet, mas, durante a conversa, o ministro se disse “incompreendido”. “Às vezes, sou um pouco incompreendido, mas quero construir junto com o Congresso, temos que dialogar”, admitiu Guedes.

O encontro já estava na agenda do ministro desde a semana passada, e não tinha relação direta com o conflito anunciado por Maia. Guedes foi mais longe: disse que se relaciona bem com o presidente da Câmara e que os dois têm posicionamentos similares em relação à agenda econômica liberal.

Correio apurou que divergências em torno do socorro a estados e municípios também estão por trás da crise entre os dois. Na quinta-feira, Maia disse que teria uma reunião para tratar do assunto com o chefe da Assessoria Especial do ministro, Esteves Colnago, e com o secretário do Tesouro, Bruno Funchal. O encontro não ocorreu, segundo o presidente da Câmara, porque Guedes proibiu a ida dos dois.

Nesta sexta, Maia voltou a abordar o assunto e disse que não pretende buscar uma conciliação com o ministro. “Fiz todas as minhas tentativas. Eu sou um político paciente, mas acho que a gente vai perder tempo. De fato, o Paulo Guedes não gosta de mim. Se a pessoa não tem uma boa relação, não adianta perder tempo”, disse o deputado, em entrevista ao SBT News.

Sem prejuízos

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), disse que a briga entre Maia e Guedes é um problema dos dois e que não trará prejuízos para a tramitação das reformas. “Não haverá nenhum prejuízo, pelo contrário. Vai ser mais útil para nós esse modelo de relacionamento, porque nós levaremos ao presidente da Câmara a posição do governo, não da Economia. Isso vai ajudar para que não haja percalços e mudanças de opinião durante a tramitação das matérias. O governo não tem nada a ver com isso, é um problema entre eles”, disse o líder ao Correio.

Ao ser questionado sobre o novo desgaste do ministro com o presidente da Câmara, o secretário da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, esquivou-se de comentar: “A orientação de Guedes é ter uma agenda que mude o Brasil estruturalmente, que seja implementada o mais rapidamente”, afirmou, acrescentando que a interlocução Ministério-Congresso se dá, majoritariamente, por vias alternativas.

O secretário destacou que o Congresso é soberano e que o Brasil precisa de um “brinde à democracia”, já que a “agenda de reformas precisa seguir”.

Ponta Porã - MS
Atualizado às 02h16 - Fonte: Climatempo
16°
Pancada de chuva

Mín. 14° Máx. 24°

16° Sensação
19.4 km/h Vento
47.3% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (22/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 15° Máx. 27°

Sol com algumas nuvens
Quarta (23/09)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 28°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias